Quando se fala em ecografia, a maioria das pessoas associa este procedimento à gestação, porém, não é necessário estar grávida para que o médico solicite um exame ecográfico. Trata-se de uma técnica que permite obter uma imagem de qualquer parte do interior do corpo utilizando o ultrassom, podendo ser aplicada para a obtenção de diagnósticos precisos e no auxílio de procedimentos médicos.

O exame de ecografia, também conhecido como ultrassonografia, tradicionalmente serve para diagnosticar a gravidez ou avaliar o desenvolvimento do feto; diagnosticar doenças do útero, trompas e ovários; e possibilitar a visualização de quaisquer estruturas do corpo humano. Por ser tão versátil, a ecografia é utilizada também em outros procedimentos, como no implante do DIU e em exames de mama como Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF).

No Implante do DIU

Visando o bem-estar da paciente, a ecografia pode ser utilizada como auxílio no implante do DIU, proporcionando uma inserção sem dor. Com o suporte da ecografia antes da colocação, é possível verificar o posicionamento do útero, desse modo o médico é capaz de saber a melhor forma para fazer o implante, o que proporciona maior conforto durante o procedimento. Após o implante do DIU, é recomendado à paciente procurar uma clínica para realizar uma ecografia ginecológica e verificar se o DIU está bem posicionado. Em algumas clínicas de ginecologia em Brasília, a ecografia é feita imediatamente após o procedimento de implante do DIU, trazendo maior praticidade ao procedimento.

No Exame de Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF)

Na realização da Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF), a ecografia é usada como guia. Durante o procedimento, com o auxílio da ecografia mamária, o médico pode acompanhar em tempo real o posicionamento do nódulo, por menor que seja, bem como o posicionamento da agulha, realizando a coleta da amostra do material para biópsia de modo rápido e preciso. Dessa forma, o procedimento torna-se menos desconfortável, pois em alguns casos o tamanho do nódulo dificulta a coleta do material, no entanto, a dificuldade é reduzida com o auxílio da ecografia mamária como guia.

É importante destacar que a ecografia mamária é utilizada para detectar pequenas lesões ou nódulos que não podem ser identificados no autoexame das mamas, sendo um exame complementar à mamografia.

Mesmo com a ecografia sendo usada como suporte a alguns exames das mulheres, é válido lembrar a importância dos exames específicos solicitados nas várias fases da vida da mulher, como por exemplo, a ecografia ginecológica ou ecografia pélvica, que é indicada para visualizar as estruturas internas da região pélvica, como útero, ovários, trompas e colo do útero, podendo ser realizada de duas formas: colocando o transdutor no abdome/pélvis (ecografia pélvica/abdominal) ou dentro da vagina (ecografia transvaginal).

Já a ecografia obstétrica estuda o desenvolvimento e o bem estar do bebê, determinando riscos de potenciais complicações, sendo necessário realiza o exame durante diversas fases da gravidez. É utilizado, por exemplo, para determinar a idade gestacional, o desenvolvimento do feto e também o sexo bebê.

Recomenda-se às mulheres que realizem periodicamente consultas de rotina com o médico ginecologista e que não deixem de fazer os exames de ecografia, afinal, quanto mais cedo o diagnóstico da doença, melhores são os resultados do tratamento.

Clínica da Mulher - Asa Sul
Nada substitui a consulta com o ginecologista, visite-o regularmente.